Kehlsteinhaus – A casa de verão de Hitler

É injusto que uma pessoa tão terrível tenha morado em um lugar tão lindo, mas como a vida não é justa, láaa no topo da montanha Kehlstein, em um lugar estratégico a 1834 metros acima do nível do mar, está o presente de aniversário de 50 anos de Hitler.

O local, também chamado de Eagle’s Nest, foi bombardeado pelos ingleses em abril de 1945, e mais tarde foram encontrados vários vinhos e obras de artes de colecionadores judeus. Antes disso, lá era um ponto de encontro político, para o desenvolvimento de planos e tomada de decisões.

Hoje a casa deu lugar a um restaurante com uma das vistas mais privilegiadas do mundo.

Para alcançar o topo da montanha é preciso dar voltas e voltas de ônibus (e o enjoo!), pegar o suntuoso elevador instalado dentro da pedra e atravessar um túnel com a sensação térmica de uma geladeira.

DSC04621
DSC04622
DSC04606
DSC04595
DSC04511

(Meu cabelo curtinho em 2012!)

DSC04517

O lago Königssee.

DSC04552 DSC04553

Os escombros:

DSC04569 DSC04528 DSC04581 DSC04605

O Ninho da Águia fica em Berchtesgaden, sul da Alemanha quase na fronteira com a Áustria.

Para saber mais é só acessar http://www.kehlsteinhaus.de !
Até mais!

Anúncios

Cicatriz é História

IMG_1216

Certa vez eu estava sentada no sofá, apoiando as penas no colo do meu namorado. Ele acabou reparado numa marca de arranhão que tenho e perguntou o que era. Eu me lembrava bem. Estava na casa de uma amiga e o gato gordo dela caiu do sofá e escolheu as minhas pernas para tentar se agarrar e evitar a queda. Esse dia foi bem divertido, éramos 8 amigas e estávamos passando a noite na casa do padrasto de uma delas. Um dia simples, sem muitos acontecimentos históricos, mas que eu não me esqueço, por causa do incidente com o gato que deixou sua devida marca em minha pele.

Isso me fez pensar: Quantas vezes não nos machucamos e ficamos torcendo para que não haja nenhuma cicatriz? Já parou pra pensar, que talvez eu nunca me lembraria desse dia, se não fosse a marca de arranhão em minha perna?

Eu sempre fui uma menina agitada e por isso meus joelhos são muito marcados. Eu me lembro de cada tombo e consequentemente, de cada momento. Estes que estariam esquecidos no tempo, junto de muitos outros, se não fosse pelas marcas.

Toda essa reflexão, me fez pensar em algo com mais significativo e que sofre mais tabus pela sociedade. As tatuagens. Quando me perguntam, você ainda vai gostar da sua tatuagem quando ficar velha? Eu sinceramente não sei. Mas uma coisa é certa. Ela nunca vai me deixar esquecer o que eu senti quando a fiz. Minha pele acaba virando um livro de história. A história da minha vida. Basta olhá-lo e decifrar tudo de intrigante que já aconteceu comigo.